Ministério Público quer saber porque Volks aperta produção

Está marcada para amanhã audiência no Ministério Público entre as direções do Sindicato e da Volks para discutir a falta de mão-de-obra na montadora, que exige forte ritmo da produção e coloca em risco a saúde dos trabalhadores.

Na segunda-feira, os companheiros suspenderam as paralisações diárias, marcando nova assembléia nesta sexta.

O presidente do Sindicato, José Lopez Feijóo, disse que o pessoal está pagando com a saúde o ritmo imposto pela Volks.

Ele lembrou que a nova direção da montadora, ao contratar seguranças para intimidar os companheiros, adotou uma política de confronto.

Feijóo deu exemplo de episódio ocorrido na sexta-feira passada na estamparia, quando a chefia desinterditou duas prensas sem travas de segurança, passando por cima da lei. Além disso, a segurança da empresa fez um cordão de isolamento para obrigar o pessoal a trabalhar nas máquinas sem segurança.

Por que tudo isso? Porque ainda neste ano vão acontecer negociações sobre valor total da PLR, campanha salarial e renovação do acordo de garantia de emprego.

Feijóo disse que o objetivo da Volks é domesticar o pessoal para quebrar a espinha do movimento e fazer os trabalhadores abaixarem a cabeça.

“Se aceitarmos a intimidação, significa que não teremos capacidade de reação”, avisou.

Nova assembléia foi marcada para sexta-feira, quando serão definidas as formas de luta, dependendo do encontro no Ministério Público.

“Essa definição será nossa e dependerá da nossa capacidade de luta. Nenhuma luta é em vão e ela vai durar o tempo que for necessário”, avaliou Feijóo.