Mobilização por acordos

Os trabalhadores das empresas de autopeças, fundição e grupos 9 e 10 devem manter a pressão nas fábricas para que os grupos patronais melhorem suas propostas na mesa de negociação.

Durante o dia de ontem aconteceram paradas, protestos e assembléias em várias empresas.

Na Federal Mogul, em Diade-ma, os 380 mensalistas e horistas pararam a produção durante toda a manhã.

“Temos que manter o pique de mobilização, pois dependendo do que os patrões apresentarem, temos que intensificar o movimento”, disse Adi dos Santos Lima, presidente da FEM- Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT.

Ele revelou que os integrantes do Grupo 5 (Sindipeças, parafusos e similares) e Grupo 9 (máquinas e equipamentos) marcaram reunião para hoje. “Pior são os patrões de Fundição que continuam sem oferecer nada”, concluiu.