O futuro nas mãos do povo brasileiro neste 2 de outubro

Para que as reformas neoliberais continuassem a ser operadas, o ex-presidente Lula sofreu uma condenação injusta na operação Lava-Jato, que foi amplamente desmascarada pela agência de notícias The Intercept-Brasil, impedindo que ele concorresse às eleições presidenciais de 2018, quando liderava com folga as pesquisas eleitorais.

Foto: Divulgação

O resultado de toda essa orquestração foi o aprofundamento das políticas neoliberais como a reforma da Previdência, as privatizações, confisco de direitos trabalhistas, além de uma política ambiental desastrosa que ameaça a floresta amazônica e a existência dos povos originários e favorece os interesses do agronegócio e da atuação ilegal de madeireiras e mineradoras.

Do ponto de vista político, a democracia nunca esteve tão ameaçada em nosso país como no atual governo. As 33 milhões de pessoas que passam fome em nosso país, que é um dos maiores produtores de alimentos do mundo, falam por si sobre o que é a prioridade deste governo e o descaso com os mais pobres.

Neste domingo, 2 de outubro, teremos a oportunidade de mudarmos essa trajetória de atraso e aprofundamento da desigualdade social que nos aprisiona no presente e nos impede de sonharmos com o futuro. O Brasil não pode continuar nesse caminho de destruição econômica, social, ambiental e cultural. O povo brasileiro terá neste domingo uma oportunidade de eleger o seu presidente e os seus governadores, além da bancada do Congresso Nacional.

A depender do resultado das eleições, poderemos retomar o caminho do crescimento econômico de forma sustentável com inclusão social e preservação do meio ambiente. Poderemos sonhar de novo com um futuro melhor para nós e para as futuras gerações, que poderão viver num país mais próspero, mais solidário, mais fraterno e mais tolerante, onde o respeito à diversidade e aos direitos humanos, sejam predominantes em nossa sociedade. 

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]
Departamento de Formação