O mundo em um minuto

Enquanto a imprensa oculta, a Covid-19 tem nova alta, de 47% na Europa Oriental, 33% na Europa Ocidental, 32% na Ásia e 14% nas Américas. No mundo, foram 541 milhões de casos confirmados, 6,3 milhões de mortes, sendo 671.125 destas no Brasil, segundo o governo.

A OMS lembra que vários países mudaram as estratégias de teste e, com isto, menos casos estão sendo detectados. Apontam também que estudos feitos em Israel, Brasil e EUA mostraram efetividade das vacinas e grande aumento desta com as doses de reforço, inclusive contra a variante Ômicron.

Se uma pandemia só não basta, a varíola do macaco surgiu em maio e já está em mais 12 países (Europa, América do Norte e Austrália), além da África ocidental e central, onde é endêmica. A transmissão é por secreções e contato físico com infectados, como a varíola comum, mas esta é menos letal (1 a 10%, a varíola matava 30% antes da vacina).

A guerra na Ucrânia continua causando aumento dos preços dos alimentos na Europa (é grande produtora de trigo, milho e colza), aumento no preço do gás (calefação) e gigantescas emissões de carbono. A Otan só aumenta de membros, aumentando a tensão e a amplitude do conflito. No grande chifre da África, as piores secas em décadas pioram a insegurança alimentar em uma região historicamente cheia de conflitos.

E aqui no Brasil, temos um presidente da República cujos crimes não cabem no espaço de uma coluna, que certa feita gastou sua retórica: “Nada está tão ruim que não possa piorar”.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente