Organizar-se para quê?

O Sindicato dos Metalúrgicos
do ABC constituiu-se numa referência
nacional e internacional
por causa de sua história e
das significativas conquistas.
O resultado desta campanha
salarial, por exemplo,
vem da capacidade de
mobilização e de organização
da categoria.

E por que Organização Sindical foi um dos
temas escolhidos para o debate
no 6º Congresso?

Hoje, o Sindicato possui
representantes eleitos
em 70% de sua base.

Mas, será que isso é
suficiente? Evidentemente
que não! Ao contrário do
que se possa deduzir, hoje
mais do nunca, é vital
a importância de uma base
sólida, organizada permanentemente.

Os trabalhadores e trabalhadoras
vêem à sua
frente uma série de desafios
fundamentais para a
construção de um Brasil
justo e democrático.

Um dos principais desafios
do Sindicato é combater
a precarização das
condições de trabalho, intensificada
nos anos 90
com jornadas insustentáveis
e desigualdade em todos
os níveis de relações,
entre elas gênero e raça. O
trabalho decente é direito
básico de cada cidadão e
a luta por inclusão e respeito
é a prática da solidariedade.

Cooptação – As empresas, cada
vez mais, refinam seu diálogo
com o trabalhador.
Atualmente, somos colaboradores,
parceiros, convidados
a vestir a camisa
e abraçar o projeto da fábrica
sem, contudo, usufruirmos
de forma justa
dos seus resultados. A
economia está crescendo.
No entanto, as negociações
continuam difíceis.

Somente uma ação organizada,
com a participação
de militantes qualificados,
informados e
solidários, consegue se
contrapor a esse processo.
A organização sindical
enraizada no chão de
fábrica é a sustentação
para negociar e garantir
direitos mais amplos como
o contrato coletivo de
trabalho nacional e a redução
da jornada.

Por isto, é fundamental
discutir o tema no 6º
Congresso com a seriedade
e o respeito que a classe
trabalhadora merece.

Departamento de Formação