Outubro rosa na luta contra o câncer de mama

A ciência costuma chamar de câncer um conjunto de mais de 100 doenças que apresentam em comum o crescimento alterado e desordenado de células.

Foto: Divulgação

O câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil e a sua maior incidência ocorre após os 35 anos, sendo ainda mais frequente após os 50 anos.

Durante o ano de 2020 as estatísticas apontam que 66.280 mulheres serão diagnosticadas com câncer de mama. O câncer de mama é a doença que mais mata mulheres no mundo. Não podemos esquecer que a doença também pode acometer os homens, apesar de ser apenas 1% dos casos.

Assim, como em qualquer doença, quanto mais rápido o diagnóstico, melhor as chances de resolução dos problemas. 

Os médicos orientam que as mulheres observem e palpem suas mamas em busca de alterações, sempre que se sentir confortável para tal, seja no banho, no momento da troca de roupa, entre outros. Na presença de alterações a mulher deve procurar esclarecimento médico.

Dentre as possíveis alterações, as mais comuns são as seguintes:

– Mama inchada, com tamanho ou formato alterado;

– Mamilo secretando líquido sem que você esteja amamentando;

– Irritação ao redor do mamilo com vermelhidão, coceira ou ardência;

– Pequenas feridas ou lesões na mama;

– Região da mama “afundada” ou retraída, com prejuízo ao contorno;

– Caroço perceptível ao toque na mama ou na axila;

– Veia dilatada ou aumentando de tamanho na mama;

– Textura da pele alterada com surgimento de rugas ou aparência de celulite;

– Mamilo que mudou de posição ou virado para dentro (inversão);

– Dores nas mamas ou nas axilas.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected] Departamento de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente