Para reconstruir o Grande ABC

Foto: Adonis Guerra/SMABC

A indústria como conhecemos hoje na região do Grande ABC foi moldada a partir dos anos 1950, tornando-se o mais importante centro de atividade industrial do país já na década de 1970. Desde então tivemos relevantes avanços socioeconômicos entremeados pelas diferentes crises industriais, chegando assim ao momento atual.

O que temos hoje é uma região que segue no topo da economia nacional, como mostram os indicadores do IBGE para o PIB municipal, apesar da completa ausência de um projeto de desenvolvimento e das práticas anti-industriais do governo federal, ao lado do descompromisso do governo estadual em relação a um de seus mais importantes polos industriais.

De modo acelerado, as economias paulista e regional sofrem perda relevante da riqueza gerada pelo setor industrial do Grande ABC, cuja participação no PIB regional cai de 32,4% em 2010 para 23,1% em 2017. Essa redução também se reflete diretamente nas receitas que os governos municipais podem mobilizar em políticas públicas, com uma redução per capita estimada em 5,4% no mesmo período, dado que deve se mostrar ainda mais crítico quando tivermos os números fechados para 2019 e 2020.

Esse cenário reforça a necessidade de atuação dos governos municipais e do Consórcio Intermunicipal Grande ABC em torno de políticas para o fortalecimento da indústria local e para a superação da crise, com a máxima urgência.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]
Subseção do Dieese