Setembro Amarelo

A campanha de conscientização em saúde de setembro é sobre o suicídio. Segundo a OMS mais de 700 mil pessoas morreram por esta causa em 2019, 1,3% de todas as mortes. Três quartos (77%) destas em países de baixa ou média renda e mais da metade (58%) antes dos 50 anos.

O suicídio é um problema em todas as faixas etárias, sendo a vida o único bem inalienável, deveria a sociedade o máximo a proteger. Em toda a história humana o suicídio sempre foi um fato presente. E incômodo.

No Brasil, suicídio está entre as 20 maiores causas de mortes para adultos, mas é a segunda entre adolescentes. Vários estudos mostram porcentagens alarmantes de pensamentos suicidas, desesperança e depressão, podendo chegar a mais de 30%.

Nem todos os suicidas têm doenças psiquiátricas. Nem todo suicida fez várias tentativas antes de conseguir seu intento, mas a cada suicídio consumado há cerca de 20 tentativas na comunidade.

Importante é entender que aspectos peculiares como desesperança, impulsividade, agressividade, insatisfação com o corpo, drogas lícitas e ilícitas, condição sexual, prática religiosa, dificuldades de comunicação, exposição à violência e bullying, falta de pertencimento social, sintomas depressivos e ansiosos são fatores que desencadeiam o processo de ideação suicida, nunca sendo apenas por um destes, mas uma combinação.

Se o seu amigo anda muito para baixo, isolado, calado e triste, alegre-o. Se ele quiser discutir sobre o assunto, ou o que lhe aflige, escute-o, pois, a falta de um ombro amigo é outro fator nesta cadeia. Ouça o que aflige o seu filho, seu amigo, seu irmão.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]
Departamento de Saúde do Trabalhador e Meio Ambiente