Trabalhadores voltando ao centro de decisões

Na semana passada, o presidente Lula, juntamente com os ministros do Trabalho e da Casa Civil, Luiz Marinho e Rui Costa, receberam no Palácio do Planalto cerca de 600 sindicalistas de todo o país, representando todas as centrais sindicais.

Foto: Divulgação

Como resultado do encontro, o presidente Lula instituiu um grupo de trabalho e foi firmado o compromisso para que em até 45 dias seja elaborada uma política de valorização do salário mínimo.

Vale lembrar que o salário mínimo alcança um número expressivo de brasileiros. São mais de 25 milhões de aposentados que recebem o piso, que também é referência para um volume significativo dos trabalhadores formais e informais. Ao todo, cerca de 60 milhões de pessoas têm sua renda mensal associada ao salário mínimo, o que o torna uma ferramenta potente para movimentar a atividade econômica do país.

Além disso, o ministro do Trabalho e também ex-presidente do nosso Sindicato, Luiz Marinho, declarou que o governo federal instalará mais dois grupos de trabalho para tratar de dois temas centrais: a valorização da negociação coletiva e o fortalecimento dos sindicatos brasileiros; e a regulamentação do trabalho em plataformas e aplicativos que atualmente são marcados por baixa remuneração, jornadas extensivas e total ausência de proteção social.

Assim, a valorização do salário mínimo, o respeito à negociação coletiva e o urgente amparo aos trabalhadores de plataformas marcam de forma clara a volta dos trabalhadores ao centro de decisões sobre as políticas públicas federais, atuando democraticamente para a retomada do desenvolvimento nacional.

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Subseção do Dieese