Banco é condenado a pagar multa por adotar gestão por estresse

O TST (Tribunal Superior do Trabalho) decidiu condenar o Bradesco a pagar multa de R$ 1 milhão por dano moral coletivo, por adotar uma espécie de gestão por estresse, que gerou adoecimento de diversos trabalhadores, acometidos por síndrome do pânico e depressão.

Foto: Divulgação

Ficou provado que o banco praticava cobranças de metas desarrazoadas e que as exigências ocorriam, também, fora do horário de expediente e mesmo em períodos de greve. Além disto, existiam ameaças de demissão, xingamentos, coações contra trabalhadoras gestantes, obstáculos criados para que trabalhadores não aderissem às greves, entre outras condutas.

O relator do recurso foi o ministro Alexandre Agra Belmonte. Evidentemente, a condenação R$ 1 milhão para uma instituição financeira de grande porte como o Bradesco é quase irrisória, todavia, o mais importante, neste caso, foi o reconhecimento da intensidade das condutas antijurídicas, em face dos diversos abusos praticados pela empresa contra os trabalhadores, a comprometer seriamente a saúde mental destes profissionais.

Este é o modelo de gestão de uma instituição financeira de grande porte em pleno século XXI. Alguém já disse que o sistema capitalista produz o que há de melhor nos produtos e o que há de pior nos seres humanos. O presente caso é a prova disto.

A decisão foi proferida por unanimidade pela Terceira Turma do Tribunal e não é definitiva, pois ainda pende recurso para o STF (Supremo Tribunal Federal).

Comente este artigo. Envie um e-mail para [email protected]

Departamento Jurídico